A Importância da Família Fev18

A Importância da Família...

Transmite-a aos teus filhos através de actividades práticas e divertidas. Recordas-te dos meses de verão em que viajavas até à casa dos teus avós para passar inesquecíveis momentos em família? As brincadeiras com os primos, os mimos dos tios e as histórias deliciosas que os mais velhos não se cansavam de repetir… Porque a nossa história de vida é, também, a história dos nossos antepassados, deixamos-te algumas sugestões que te podem ajudar a preservar. Aproveita-as e serve-te delas para reforçar os laços com o teu filho, incutindo-lhe valores fundamentais! Digitaliza fotografias antigas Faz uma pausa na rotina e dedica-te a preservar as fotografias antigas que se encontram guardadas e se podem degradar, digitalizando-as e gravando-as em DVD. Mostra-as ao teu filho, explicando-lhe quem são os familiares retratados. Faz um jogo de adivinhas, pedindo-lhe para que tente identificar as pessoas que surgem em cada uma dessas imagens e conta-lhes histórias e episódios curiosos sobre cada uma delas. Se preferires, podes até convertê-las num vídeo com música e dedicatórias, recorrendo a programas específicos disponíveis no teu computador e fazer depois uma sessão em família. Vai ser divertido! Faz uma árvore genealógica O primeiro passo para construir uma árvore genealógica é falar com os teus familiares mais velhos, para recolher informações.  Posteriormente, e através de uma rápida pesquisa na Internet, encontrarás vários sites nos quais poderás criar a tua árvore genealógica personalizada. Depois é só emoldurá-la e, se quiseres, oferece-la aos teus familiares. Uma prenda original! Para os teus filhos, no entanto, a parte mais animada será a que te propomos de seguida. Diverte-te com os teus filhos no computador e cria a árvore genealógica da tua família em www.meusparentes.com.pt. Organiza álbuns temáticos Esta é outra das actividades em que podes envolver as crianças, aproveitando para lhes transmitir informações...

Futuras mamãs de 2015...

Confere quem são: Este slideshow necessita de JavaScript. Fonte: Sapo Mulher Angola...

Dormidas fora de casa: qual o momento? Dez23

Dormidas fora de casa: qual o momento?...

A primeira noite dos filhos longe de casa é sempre motivo de preocupação Um dos momentos que aflige todos os pais é a primeira noite dos filhos longe de casa. Deixar o filho dormir na casa de um amigo e, portanto longe dos cuidados da família, pode gerar insegurança nas mães. Mas é preciso entender que essa actividade faz parte de um processo de independência e sociabilização fundamental para as crianças. Para a criança torna-se uma aventura, é divertido, dormir na casa de um amigo longe dos pais, é algo novo e surpreendente. Mas é nesta altura que surge a dúvida de quando a criança pode dormir fora de casa? Em que idade os pais podem ou devem permitir essa aventura? Sabemos que prender demasiado e dar liberdade exagerada faz mal, tudo deve ser equilibrado, e não há resposta válida para esta pergunta, já que a sua resposta é influenciada por vários factores: O lugar onde a criança vai dormir Este factor é importante, pois não é o mesmo que ir à casa de avós, tios, onde estes já estão mais habituados. Para facilitar convém que a criança fique a dormir na casa de um amigo que seja da escola, do futebol, do ballet, ou outra actividade extra curricular. Hoje em dia isso é bastante comum, já que as crianças vão criando vínculos umas com as outras, acabam por ir para a casa desse amigo para brincar e ficam para dormir. Se o seu filho nunca dormiu fora Neste caso é melhor esperar que ele peça, para que a criança se sinta pronta e segura para viver esse momento. Embora não haja idade certa é aos 6 anos que o seu filho começa a estar preparado para esta experiência, pois é a partir desta...

15 mitos da gravidez Dez23

15 mitos da gravidez

Não desespere se não comer aquele prato que tanto deseja, a criança não vai nascer com cara disso! Existem muitas histórias que giram em torno da gravidez. São tantos contos e lendas que a mãe fica sem saber se acredita ou não. Há informações que até são verdadeiras mas há outras que são apenas mitos e que passam de geração para geração sem saber onde começou. Aqui vamos desmistificar algumas histórias que as avós, tias e vizinhas ainda acham que são verdadeiras e deixam a cabeça da futura mãe confusa. Enquanto o feto cresce na barriga, a mãe passa por um turbilhão de emoções e sensações que são interpretadas pelas pessoas das mais diversas formas. Mas nem tudo o que as pessoas dizem é verdade. O que acontece é que antigamente não havia muita informação sobre este assunto, então as pessoas tentavam arranjar teorias para justificar certos acontecimentos, o que levou à existência de muitos mitos. Felizmente, a ciência evoluiu e, hoje em dia, há bastante informação sobre estes assuntos e as grávidas já podem tirar todas as suas dúvidas. Conheça agora alguns dos maiores mitos sobre a gravidez: O sexo pode prejudicar o bebé – O sexo só será proíbido se o médico encontrar alguma alteração com a gestação (como deslocamento de placenta e tensão alta). Se não tiver problema algum com a gestante e o bebé, o sexo está mais do que permitido. O sexo não magoa o bebé, já que este está envolvido pela placenta. E além de aumentar o fluxo sanguíneo na área da bacia aumentando a oxigenação fetal, as endorfinas produzidas no orgasmo trazem a sensação de bem-estar ao bebé e também ajuda na preparação do parto. Ficar em jejum para diminuir os enjoos – Pelo contrário, a mulher deve comer...

C4 Pedro vive momentos de nostalgia e alegria com as filhas em Bruxelas...

Pedro Lisboa Santos, de nome artístico C4 Pedro, viveu quase toda sua juventude em Bruxelas, Bélgica, por esse motivo sempre que regressa para aquele país, surgem momentos de alegria e nostalgia. C4 Pedro garante que voltar a Bélgica é sempre fantástico, foi nesta cidade onde tudo começou e foi aí onde se tornou pai de duas belas meninas. O músico usou a sua conta do Instagram para partilhar várias imagens com as filhas e os passeios pelas ruas da cidade. C4 Pedro uniu o útil ao agradável ao aproveitar a visita à trabalho com Projecto B4 em show realizado no Domingo, para relembrar os bons momentos em Bruxelas e visitar as filhas. C4 Pedro é um conhecido artista versátil, excelente intérprete, compositor, pianista ou teclista, guitarrista e produtor. Viveu 10 anos na Bélgica, onde deu os primeiros passos na música ao lado do seu irmão Lil Saint, com o qual trabalhou em projectos de sucesso na música angolana.  ...

Lar doce lar

Transforme a sua casa num refúgio pleno de boas energias, ideal para relaxar e viver com saúde. A nossa casa é o nosso porto de abrigo. O templo onde nos refugiamos depois de um difícil dia de trabalho. Saiba como ligar o seu corpo com o ambiente envolvente. Muitos dos problemas que interferem com a saúde física, emocional e espiritual podem ter como origem a nossa casa ou o nosso local de trabalho, isto porque estamos sempre em contacto energético com o local onde estamos, sobretudo onde passamos a maior parte do tempo. Existem ambientes doentes que estão carregados negativamente, poluídos ou com energia estagnada e acabam por contaminar a energia das pessoas que frequentam este local. A contaminação eléctrica e electromagnética, os efeitos da radioactividade como as radiações do subsolo e do ar, os materiais tóxicos empregados no uso de construções, as formas arquitectónicas e a poluição sonora transmitem-nos ondas de energia nociva que nos afectam, alterando o nosso humor e a nossa disposição. Por isso, é muito importante que se mantenha um cuidado especial na manutenção de um ambiente limpo e saudável. Precisamos de limpar e de purificar o espaço, de modo a trazer boas vibrações e a transferir todas as energias nocivas e estagnadas, possibilitando desta forma uma harmonia completa, assim como um fluxo de prosperidade e abundância contínua. Harmonização de ambientes Desde a antiguidade que o Homem se preocupa com o equilíbrio dos seus edifícios e das suas casas. A sua posição e orientação, a escolha dos materiais utilizados e o estudo das energias telúricas (energias que provêm do subsolo) sempre foram aspectos tidos em atenção. A Geobiologia é a ciência que estuda a relação entre a Terra e o ser humano, analisando a influência directa que os ambientes exercem...

Crianças correm mais riscos de intoxicação alimentar no verão...

A intoxicação alimentar é uma reacção a um alimento, refeição ou água contaminados por uma bactéria. Nos meses de Verão, com o calor, os alimentos tendem a estragar-se com mais facilidade e o risco de intoxicação alimentar aumenta, sobretudo em crianças. “A selecção dos alimentos, a higienização, a preparação e o acondicionamento são fundamentais para prevenir intoxicações alimentares”, refere Pilar de Quinhones Levy, pediatra do Hospital Cuf Infante Santo. As crianças, devido ao ritmo de vida e à frequência com que, nas férias, se alimentam fora de casa, estão mais sujeitas a intoxicações alimentares e devem ser os pais a garantir que as refeições estão livres de perigo e a redobrar os cuidados. Alimentos que sejam armazenados no frio, mesmo que transportados em malas térmicas, exigem mais cautela. «Ovos, iogurtes, leite, refeições que contenham marisco ou alimentos crus devem ser evitados ou consumidos de imediato. Para a praia, o ideal é levar alimentos como pão, bolachas, fruta – de preferência ainda com casca -, e alimentos secos, que devem ficar sempre protegidos do sol», alerta a pediatra Laura Sousa de Macedo. «Com o calor, o risco de desidratação também aumenta. A ingestão de líquidos é, por isso, fundamental, principalmente água. Sumos de fruta naturais são um bom complemento, porque são ricos em vitaminas e minerais, mas não devem funcionar como substitutos da água. Os refrigerantes com gás devem ser evitados», acrescenta. Dor abdominal, cólicas, vómitos e diarreia são os sintomas mais comuns de intoxicação alimentar. Em alguns casos de intoxicação alimentar pode também ocorrer febre. «Durante os períodos febris, os pais devem oferecer ainda mais líquidos às crianças. Os casos menos graves de intoxicação alimentar melhoram dentro de um ou dois dias, mantendo uma alimentação saudável, uma dieta ligeira e fracionada, água, para evitar a...

As 50 melhores apps para alunos, pais e professores...

Quando se trata de sucesso escolar, as novas tecnologias podem dar uma ajudinha. Conheça as 50 melhores aplicações e sites destinados a alunos, pais e professores. Garantir que o seu filho não se esquece de levar o equipamento para as aulas de educação física ou o instrumento para as aulas de música é fácil nos dias de hoje. Conheça as aplicações que o podem ajudar nesta tarefa. AS 10 MELHORES APLICAÇÕES PARA CONTROLAR A VIDA ESCOLAR DOS SEUS FILHOS  Garantir que o seu filho não se esquece de levar o equipamento para as aulas de educação física ou o instrumento para as aulas de música é fácil nos dias de hoje. Conheça as aplicações que o podem ajudar nesta tarefa. ‘Google Calendar’: Ferramenta gratuita da Google. É possível aceder através de SMS (gratuita) ‘Evernote’: Pode adicionar texto, notas, fotos ou gravações de voz aos seus lembretes. É compatível com qualquer computador, tablet ou smartphone (gratuita) ‘Classnotes HD’: Permite-lhe controlar os horários, tirar apontamentos e organizá-los (gratuita) ‘Há Greve?’: Verifica se há greves agendadas para os próximos dias, ordena-as cronologicamente e identifica as empresas em greve (gratuita) ‘Notification Agenda’: Transforma pequenas notas em notificações para que nunca se volte a esquecer de compromissos importantes (gratuita) ‘Text.It’: Teclas de atalho no teclado ajudam-no a introduzir texto e a criar enumerações. É uma aplicação que permite tirar notas de forma simples (0.89 euros) ‘Picar o Ponto’: Cria períodos de trabalho diários, semanais e mensais (gratuita) ‘Listary – Sync Your Lists’: Aplicação para criar vários tipos de listas. Uma das principais funcionalidades é partilhar as listas (1.79 euros) ‘Keep Na Eye’: Permite vigiar o computador do seu filho, mesmo quando está longe dele (0.79 euros) ‘Angry Bolt Widget’: Vigie a casa quando o seu filho regressar das aulas e...

Como acabar com as birras...

Psicólogo clínico ensina a lidar com as crises infantis  As birras nas crianças são normais e desejáveis, até certo ponto. Estão a construir a identidade e querem mexer em tudo, apesar dos pedidos dos pais, que ainda não entendem. Não deve ficar incomodado com as pessoas que vejam a birra da criança. As pessoas aceitam e compreendem que é uma crise infantil. Devemos evitar o cansaço na criança, ou que fique demasiado excitada, pois isto favorece o desencadear das emoções fortes. Os pais devem manter uma atitude calma e relaxada, para a criança ver este comportamento como um modelo a seguir. É importante que a criança entenda que a birra não é meio para conseguir aquilo que quer; se ceder sempre ela vai usar isso como estratégia e criar um hábito para fazer chantagem sempre que desejar um doce ou brinquedo. À medida que a criança for aprendendo a aceitar que não pode ter tudo imediatamente, as birras vão sendo menores. Elogie cada pequeno passo em que ela mostre controlo e diga-lhe que gosta sempre dela, apesar da birra. Se as birras forem contínuas, pode ser preciso recorrer a ajuda psicológica, para identificar e corrigir outras causas subjacentes.   Fonte: Sapo...

As primeiras interacções...

Saiba como desenvolver as competências do bebé dos zero aos nove meses. A terapeuta da fala Paula Bravo alerta para a importância das primeiras interacções na aquisição de requisitos para a comunicação. Como explica, o bebé é já um comunicador competente, mesmo que ainda não se exprima por palavras. Comunica quando chora, quando grita, quando palra, quando ri. Assim, a comunicação entre os pais e o bebé começa muito antes da aprendizagem das primeiras palavras. «O bebé vai responder aos estímulos da comunicação com padrões que vão encadeando o focar da atenção, o sorriso, os movimentos oro-faciais (bochechas, lábios e língua), os gestos e as vocalizações», explica a terapeuta da fala. Cria-se um diálogo em torno dos afectos, que contribui grandemente para o desenvolvimento das capacidades comunicativas e para a aquisição da fala.   ATENÇÃO MÚTUA As interacções precoces levam à apreensão de uma capacidade de atenção mútua: a criança vai começar a dar atenção ao outro, estabelece o contacto visual, a imitação motora e vocal, reconhece expressões faciais, a entoação, aprende a melodia, o ritmo do discurso, assim como as regras do diálogo. Segundo Paula Bravo, a criança começa a perceber a causa-efeito de alguns comportamentos e a usá-los, direccionados a outros, com a expectativa de obter uma resposta. «O bebé percebe então o que é comunicar, tem a noção de causa-efeito na comunicação, sabe que pode regular o comportamento do outro para atingir fins específicos.» Até por volta dos nove meses, as crianças não mostram ainda sinais de compreensão linguística. Elas vão perceber a entoação da fala, mas não percebem as palavras que lhe são ditas. Fonte: Sapo...