Tags

Outras Publicações

Ginga - A Marca da Família Angolana

Como a tecnologia prejudica e ajuda a vida amorosa

O que acontece quando a tecnologia se intromete em lençóis alheios?

A tecnologia chegou para ficar e já entrou em todas as áreas da nossa vida, umas vezes para o bem, outras para o mal. Actualmente, já é difícil imaginar a vida sem um contacto permanente com a Internet, redes sociais, emails, notícias, colegas, amigos, familiares onde quer que estejam no mundo.

O wifi está por todo o lado e a ligação às nossas redes de contactos e ao mundo está sempre ao nosso alcance. E isto é bom. Mas também tem o reverso da medalha, em todas as esferas onde nos movimentamos.

Mas falemos neste artigo apenas das relações amorosas e como a tecnologia veio ajudar, mas também prejudicar as relações mais íntimas. E não há dúvida de que impacta na forma como namoramos e amamos no século XXI. Apresentamos-lhe, de seguida, seis formas como a tecnologia está a prejudicar a nossa vida amorosa e quatro em como a está a beneficiar, baseadas num artigo publicado no site Huffington Post. Concorda com elas?

Prejudica investigar a ex dele. Recorrer ao Google, Facebook ou LinkedIn para investigar a ex do seu namorado permite-lhe saber muita coisa sobre a mulher que o encantou antes de si. Mas investigá-la não vai fazer nada bem à relação. Inevitavelmente, vai comparar-se com ela e, quiçá, ficar invejosa ao vê-la de biquini ou em alguma foto em que ambos foram felizes em algum sítio do mundo. Não se torture.

Prejudica investigar o seu ex-namorado. A natureza humana é assim mesmo e dificilmente conseguirá resistir a inspeccionar o que ele anda a fazer agora. Além de que as fotos dele no Instagram ou as informações do Foursquare a informá-la de que está a deliciar-se no tal restaurante que já foi o vosso não contribui para o esquecer totalmente. E, assim, quase sem querer, os ex intrometem-se na vida do novo casal.

Prejudica pesquisar o novo amigo na Internet. É tentador, mas pode prejudicar mais do que ajudar a criar uma nova relação. Se for para o primeiro encontro com ideias pré-concebidas, não deixa espaço para a descoberta. Uma pesquisa da Match.com, em fevereiro de 2013, descobriu que 38% das mulheres já cancelaram encontros após recolherem informações sobre a pessoa online. É certo que a pode salvar de alguns contratempos, mas evite fazer juízos de valor baseados só na figura digital

Prejudica partilhar informações do casal. Neste mundo de interligações e partilhas, é agora mais difícil manter a vida privada realmente privada. Mas tenha em atenção se o seu par gosta que partilhe informações do casal com os amigos, familiares e colegas de trabalho. Pode acontecer ele não querer ver a sua imagem num momento carinhoso a ser mostrado a todos. Até porque a relação é do casal e não do mundo.

Prejudica ter pornografia à distância de um clique. Ter acesso facilitado a pornografia pode levar homens e mulheres a criarem expectativas irrealistas no quarto. Como tudo na vida, há que fazer as coisas com conta, peso e medida.

Prejudica ter os olhos e dedos colados ao telefone. Estar constantemente a ver se tem novos emails, comentários aos seus posts ou a verificar o que anda a fazer a sua rede de contactos já começa a ser motivo de discussão de muitos casais. Se está com os olhos pregados no telefone, muito provavelmente está a perder as interacções que estão a acontecer no mundo físico à sua volta. E ao seu lado pode estar alguém a sentir-se posto de lado.

Ajuda a manter relações à distância.Chegámos às coisas boas. A tecnologia também ajuda na vida amorosa. Que o digam quem tem de manter relações à distância. Estar longe da cara-metade é difícil, mas nos dias de hoje está facilitado com as comunicações via Skype, Facetime, Facebook, etc. Não é o mesmo que a presença física, mas permite que a pessoa esteja presente no dia a dia.

Ajuda a conhecer alguém online. A Internet ajuda a cortar caminho até chegar a uma pessoa que lhe agrade. Há as conversas online com um novo amigo que se conheceu – e estas conversas ajudam logo na triagem – mas também muitos sites de encontros que facilitam a vida a quem quer encontrar o amor no ciberespaço. Pode escolher alguém que tenha os seus gostos musicais, mesmo tipo de formação, etc..

Ajuda a que não haja encontros monótonos. Não tem ideias para impressionar aquele amigo com quem vai sair? Não se preocupe, pesquise na Internet e encontra logo centenas de espaços glamourosos ideais para um primeiro encontro. E o que vestir? Os consultores de moda online ajudam. E o que dizer? Os conselheiros de relações também lhe podem dar umas luzes.

Ajuda à promoção da igualdade. A tradição já não é o que era e as regras de género já não se aplicam como antes. O protocolo tradicional de quem deveria avançar primeiro esbateu-se. Mais verdade isto se torna em sites e aplicações de encontros. As mulheres sentem-se mais confortáveis em dar também elas o primeiro passo.