Tags

Outras Publicações

Ginga - A Marca da Família Angolana

Dicas para sobreviver a uma separaçāo, Por Marina Verne

Dicas para sobreviver a uma separaçāo:

Nāo há como dar a volta. Ela está aí e nāo há reconciliaçāo possível. E agora? Do embaraço de assumir o fim de uma relaçāo, à desorientaçāo e tristeza é a sensaçāo de caos e medo que muitas vezes nos dominam. Calma. Respire. Uma nova fase vai começar!

Deixamos  6 Dicas para a ajudar a dar a volta por cima!

1 –  Aceite e faça um balanço
Negar nāo é soluçāo. Aconteceu porque tinha que acontecer e está na hora de se mentalizar disso. Muitas vezes somos tentados a ignorar os eventos que nos provocam dor e angústia, como se se nāo pensássemos neles de alguma forma acabassem por desaparecer…

O problema é que por mais bem enterrados que pareçam, um dia somos todos confrontados com o passado e é essencial que tudo esteja bem resolvido na nossa cabeça. Numa separaçāo há sempre uma desilusão e perda de confiança mais ou menos agravada.

Esta perda de confiança pode ser no sexo oposto, nas relações em geral, na sua capacidade de amar e se entregar ou até mesmo em si própria. Não fuja à sua realidade, encare a situação de frente! Reflicta sobre o que levou a sua relação a este ponto e faça um balanço do que foi importante  e construtivo e do que nāo quer que se repita. Veja-o como um fechar de contas e uma reconciliaçāo consigo própria!

2- Tenha atenção aos sinais!
É natural que se sinta triste e até zangada com o mundo mesmo que a separação que está a viver tenha sido decisāo sua. Quando uma relaçāo chega ao fim com ela morre um sonho. O fruto do nosso investimento emocional acaba por ser uma mão cheia de nada mesmo que, conscientemente, nāo tivéssemos grandes planos.

Nesta altura é fundamental estar alerta para alguns sinais que podem po-la em risco. Quando a pouca vontade  de se arranjar passar para dias enfiada dentro de casa, ou de repente lembrar-se que ainda nāo comeu nada e são 20h00,  atenção! Os estados depressivos podem rapidamente escalar para depressões graves e difíceis de superar. Procure alguém que a oiça e a ajude a confortar-se. Sim leu bem, que a ajude a confortar-se. Mais importante que mil abraços é aprender a abraçar-se e lembrar-se que é consigo própria que tem que puder contar primeiro!

3- Resista aos impulsos
Por vezes a necessidade de superar e seguir em frente è tal que achamos que  devemos dar uma volta de 180º à nossa vida. Nāo suportamos a casa porque encerra  lembranças; o carro parece mais velho ou nem é o modelo que queríamos mas sim, o que ele aconselhou e achamos que merecemos, aquelas férias mirambulantes que nunca fizemos… É tudo verdade.

A casa pode parecer um castigo mas é a sua casa e era só o que lhe faltava meter-se em sarilhos, nāo acha? Repare bem, tudo isto sāo grāos de areia. Que interessa o carro? Decisões precipitadas e definitivas podem trazer-lhe grandes dissabores e infelizmente é muito comum terem um final complicado. Dê tempo ao tempo, mude umas almofadas se isso a fizer sentir melhor mas nāo perca o controlo da situaçāo. Nāo tem que convencer ninguém que está a ultrapassar a crise!

4- Cuide de si
Quando a mágoa e o desconsolo nos invadem é difícil. Contudo, tem de fazer um esforço. Cuidar de nós é algo que nunca devemos descurar, mas nesta fase  torna-se apanágio de vitória!

Pode fazê-lo de formas muito simples. Escolha roupas confortáveis mas que a façam sentir segura de si. Compre uma “extravagânciazinha”! Vá ao cabeleireiro se isso a ajudar a sentir-se bonita, mas cuidado, não faça mudanças radicais com as quais depois não se identifique! Tome um banho relaxante que a descontraia. Mime-se, permita-se um chocolate mas esforce-se por fazer uma alimentação saudável que lhe dê mais energia. Não caia no facilítismo da alimentação emocional. Cuide de si! Está mais que comprovado que,  uma mulher que se ama e se respeita mais facilmente é amada e respeitada!

5- Procure novos interesses
Uma relação é, também, uma partilha de interesses. Aquilo que fazia enquanto indivíduo solteiro passou a fazer como casal e quando a separação aconteceu, viu-se forçada a quebrar rotinas e a passar a fazer tudo sozinha novamente. Nesta fase conclui-se que os interesses que partilhava  já não fazem sentido ou que não eram verdadeiros e isso pode deixa-la perdida. Concentre-se em si própria e procure novos interesses. Explore o que sempre teve curiosidade, ajuizadamente!

Experimente aquela aula de Pilates para a qual nunca teve tempo. Arranjar um hobbie pode ser uma tábua de salvação. Procure algo que a mantenha ocupada sem que se torne uma obsessão. Esta iniciativa pode determinar uma passagem do tempo mais suave e certamente mais construtiva. Para além disso, quem sabe esta não é uma janela de oportunidade para descobrir o seu talento!

6- Acredite
Bem sabemos que falar é fácil… Bem sabemos que está a passar uma fase dolorosa na sua vida. Mas… Olhe em volta. O sol continua a brilhar! Está um mundo inteiro à sua espera, só é preciso que acredite, erga a cabeça e não desespere!

A vida acaba por ser sempre um jogo, e por muito dramáticas que sejam as peças somos sempre capazes de as virar a nosso favor, basta que concentremos a energia certa nelas. Trace objectivos e faça planos para o que quer na sua vida de futuro e espere tenha calma e não se precipite. Às vezes a tendência é saltar logo para outra relação, umas vezes porque não queremos estar sozinhas outras simplesmente porque sim. Tenha calma acredite que vai ter o que merece e não se conforme com o que está à mão… Acredite que merece mais, muito mais do que isso e muito mais do que já teve. E lembre-se há sempre mais marés que marinheiros!

 

Fonte: Revista Chocolate