Dormidas fora de casa: qual o momento? Dez23

Tags

Outras Publicações

Ginga - A Marca da Família Angolana

Dormidas fora de casa: qual o momento?

A primeira noite dos filhos longe de casa é sempre motivo de preocupação

Dormidas fora de casa: qual o momento?Um dos momentos que aflige todos os pais é a primeira noite dos filhos longe de casa. Deixar o filho dormir na casa de um amigo e, portanto longe dos cuidados da família, pode gerar insegurança nas mães. Mas é preciso entender que essa actividade faz parte de um processo de independência e sociabilização fundamental para as crianças. Para a criança torna-se uma aventura, é divertido, dormir na casa de um amigo longe dos pais, é algo novo e surpreendente.

Mas é nesta altura que surge a dúvida de quando a criança pode dormir fora de casa? Em que idade os pais podem ou devem permitir essa aventura? Sabemos que prender demasiado e dar liberdade exagerada faz mal, tudo deve ser equilibrado, e não há resposta válida para esta pergunta, já que a sua resposta é influenciada por vários factores:

O lugar onde a criança vai dormir

Este factor é importante, pois não é o mesmo que ir à casa de avós, tios, onde estes já estão mais habituados. Para facilitar convém que a criança fique a dormir na casa de um amigo que seja da escola, do futebol, do ballet, ou outra actividade extra curricular. Hoje em dia isso é bastante comum, já que as crianças vão criando vínculos umas com as outras, acabam por ir para a casa desse amigo para brincar e ficam para dormir.

Se o seu filho nunca dormiu fora

Neste caso é melhor esperar que ele peça, para que a criança se sinta pronta e segura para viver esse momento. Embora não haja idade certa é aos 6 anos que o seu filho começa a estar preparado para esta experiência, pois é a partir desta idade que já estabelecem vínculos de amizade e não restringem as suas relações ao círculo familiar. Também por volta desta idade que ganham autonomia para se alimentarem sozinhos, cuidarem da própria higiene e de comunicar facilmente. Logo, consegue resolver sozinho questões relativas ao seu bem-estar quando se encontra na casa de outros.

Se vir que o seu filho ainda não se sente seguro para este passo não force, comece por programar uma tarde em casa de um amigo para ver a sua reação.

Quando chegar a altura da primeira noite fora de casa oriente o seu filho para a forma que se deve comportar e dê os conselhos necessários. Passe tranquilidade ao seu filho, diga-lhe que qualquer coisa é só ligar e que a hora que ele quiser você irá buscá-lo, não seja uma mãe ou um pai neurótico, pois afinal os filhos crescem e precisam de sentir que acompanha essa evolução. Os pais também devem avisar os anfitriões dos hábitos do seu filho, como manter a luz acesa e ir à casa de banho durante a noite, além de restrições alimentares e de remédios que possa ter de tomar. Esse também é o momento de combinar quem vai levar e buscar, trocar telefones e, ainda, perguntar com quem as crianças ficarão para garantir que há sempre supervisão.

Quando ele voltar da casa do amigo, os pais podem ligar para os anfitriões a agradecer o convite e aproveitam a ocasião para perguntar como foi a experiência. Depois é sempre bom falar com o seu filho para saber a opinião dele. Normalmente as crianças retornam felizes e cheias de novidades e por isso é bom sentirem-se apoiadas e que também vibra com aquilo que lhe conta.

Fonte: Sapo Mulher Angola